4 dicas para contratar o seguro incêndio

4 dicas para contratar o seguro incêndio

Infelizmente, qualquer imóvel está suscetível a um incêndio. Assim, para proteger sua casa ou empresa, é muito importante contratar um seguro incêndio, que irá garantir que os prejuízos financeiros gerados pelo fogo sejam minimizados, além de passar uma maior segurança e amparo a quem esteja dentro do imóvel segurado.

Primeiramente, é necessário saber que não é comercializado, separadamente, apenas um “seguro incêndio”, mas sim uma cobertura junto ao seguro residencial ou de imóveis, para protegê-los contra esse tipo de sinistro.

Quem mora em condomínios, já deve possuir o seguro condomínio obrigatório, que possui a cobertura contra incêndios para as áreas comuns, porém sem proteger especificamente os apartamentos. Por isso, os proprietários também devem recorrer a um seguro incêndio residencial, que cobrirá tanto o apartamento quanto os bens do imóvel, em caso de incêndio – entretanto, para proteger equipamentos eletrônicos que possam causar sua queima, é necessário contratar especificamente a cobertura de danos elétricos. Já, quem possui uma casa, deve ficar atento e verificar se em seu seguro residência está incluso o seguro incêndio.

Veja quatro dicas essenciais na hora de consultar uma corretora de seguros para montar a sua apólice:

Dica #1: Confira quais são os riscos cobertos

No seguro, deve estar explicitado que tipo de riscos serão cobertos em função da ocorrência de incêndio. Por exemplo: desmoronamento, impossibilidade de remoção ou proteção dos bens segurados danificados, custos gerados a partir das providências tomadas para combater o incêndio, etc.

No seguro de incêndio residencial não estão cobertos, por exemplo, prejuízos ocorridos a partir da propagação de fogo que tenham sido originados através de inundação e rebeliões. Veículos e objetos em tráfego também não serão indenizados, bem como casos de incêndios gerados em situação de roubo ou furto.

Há itens, como joias, obras de arte, objetos de coleção, dinheiro e bens de terceiros recebidos em consignação, garantia ou depósito, que, normalmente, também não são cobertos, sendo necessário a contratação extra de uma cobertura para itens de valor.

Um ponto importante é que as seguradoras não consideram combustão espontânea ou fermentação como incêndio.

Dica #2: Tenha cuidado com a Cláusula de Rateio

Caso o segurado ou o corretor definam que a Importância Segurada (valor do bem que será segurado) é menor do que o valor real do bem e ocorra algum sinistro, a seguradora pagará apenas este valor que foi informado. Assim, ficará a cargo do próprio segurado o pagamento da diferença restante.

Por isso é muito importante que você informe ao corretor de seguros o valor exato de reconstrução do imóvel, para que todos os prejuízos sejam cobertos e que não haja a necessidade de desembolsar o seu próprio dinheiro para recuperar os bens perdidos.

Dica #3: Entenda que o valor segurado não é o valor comercial do imóvel

Muitas pessoas acham que, ao contratar um seguro residencial, deve-se colocar como valor segurado o preço que foi pago pelo imóvel. Na realidade, quando ocorre algum sinistro e a casa precisa ser reconstruída, o valor de reconstrução muito provavelmente será maior do que o valor comercial do imóvel, por isso, deve-se informar como valor segurado o custo que seria necessário para a reconstrução da casa por completo.

Dica #4: Saiba que há diferenças no seguro, de acordo com os tipos de construção

O tipo de construção do imóvel influência no valor do seguro. Por exemplo, casas de madeira, que são feitas de material de mais fácil combustão, são mais suscetíveis a incêndio do que as de alvenaria, o que encarece o valor de seu seguro. Isso não quer dizer que incidentes não ocorram em residências de alvenaria ou mistas (parte de madeira e parte de alvenaria), que poderão sofrer sinistros em decorrência de sobrecargas, vazamentos de gás e problemas na rede elétrica, por exemplo.

Vale salientar que cada seguradora realiza cobertura de diferentes tipos de materiais, por isso, é importante consultar um corretor especializado antes de fechar contrato.

Mesmo poucos sabendo, o seguro imobiliário é obrigatório para a proteção dos bens de imobiliárias e administradoras de imóveis, uma vez que os imóveis da carteira estarão segurados quanto a incêndios, entre outros danos, conforme o plano contratado. Saiba mais acessando nosso link: O que é um seguro imobiliário e o que ele deve oferecer?

Como contratar o seguro incêndio?

Para contratar o seguro incêndio, você deve, primeiramente, ter um seguro residencial. Faça uma pesquisa ou consulte uma corretora de seguros para obter informações sobre a opção mais adequada para o seu caso.

Da uma olhada nesse vídeo sobre o Seguro Incêndio:  Incêndio em Apartamento

No artigo acima, concluímos que para proteger o seu patrimônio e o seu lar é muito importante contar com um seguro incêndio. Você ficou com alguma dúvida sobre este tema? Deixe sua mensagem aqui nos comentários e continue no blog para ver outras dicas como essa.

 

No Comments

Postar Comentário

Converse conosco pelo Whatsapp
× Olá !! Precisa de ajuda ?