A importância do seguro de vida no condomínio

A importância do seguro de vida no condomínio

17Os síndicos possuem diversas atribuições. Eles devem gerenciar os recursos e as demandas para garantir o bem-estar dos condôminos. Entre suas responsabilidades está a gestão dos funcionários e prestadores de serviços.

Além da contratação e acompanhamento do desempenho desses colaboradores, é preciso estar atento a questões trabalhistas e aos benefícios oferecidos a essas pessoas.

Muita gente não sabe, mas o seguro de vida para funcionários de condomínios com vínculo empregatício é obrigatório em diversos estados, como São Paulo e Rio de Janeiro. O síndico deve verificar junto ao sindicato correspondente o acordo coletivo da categoria a fim de não gerar nenhum problema trabalhista.

Para contratação do seguro de vida para condomínio, em caso de obrigatoriedade, não é necessário convocar assembleia – uma eventual assembleia poderá discutir, por exemplo, a escolha do seguro. Entretanto, a contratação e a renovação do seguro são de responsabilidade do síndico que, caso ocorra um acidente e o condomínio não possua o seguro, poderá ser processado.

Assim, mesmo em locais onde o seguro não é obrigatório, ele é recomendável, para resguardar o síndico e o condomínio de problemas oriundos de imprevistos e fatalidades. Esse seguro protege o síndico legal e financeiramente e, ainda, funciona como um benefício aos funcionários. Dessa forma, podendo ser um recurso para atração e retenção dos colaboradores, reduzindo o índice de turnover no condomínio.

Por tudo isso, é fundamental que o síndico conte com o auxílio de uma corretora de seguros com expertise nessa área e que possa orientá-lo sobre a melhor opção de seguro para os funcionários do condomínio.

Veja, a seguir, algumas dicas importantes sobre o que deve ser considerado para contratar o seguro de vida no condomínio.

Entenda a diferença entre seguro de vida e seguro de acidentes pessoais

A diferença básica é que o seguro de vida garante indenização em caso de morte por causa natural ou acidental. Outro fator que os diferencia é que o seguro de vida, normalmente, é calculado de acordo com a idade do segurado e o seguro de acidentes pessoais não faz distinção de idade; o prêmio aqui não é alterado em função do aumento de idade do segurado. Dessa forma, no seguro de vida há um aumento gradativo à medida que a idade do segurado também aumenta, em função de o risco ser potencialmente maior.

Verifique quais são os acidentes pessoais cobertos

É importante que esteja claro e documentado quais os acidentes pessoais de funcionários que o seguro cobrirá. Há casos, por exemplo, em que acidentes ocorridos sob influência de álcool ou durante competições esportivas não estão cobertos pelo seguro.

Escolha entre seguro de vida global e seguro de vida uniforme

Esses seguros diferem em termos do capital segurado. O capital é o valor a ser pago em caso de ocorrência de sinistro com o segurado.

O seguro de vida global é realizado quando se contrata um valor único de capital que é dividido proporcionalmente entre os participantes. Já o seguro de vida uniforme é quando se determina um capital de igual valor para todos os participantes.

Tenha em mente a idade máxima do segurado

Grande parte das seguradoras apresentam restrições para pessoas acima de 65 anos, sendo comum haver o limite de 60 anos para contratação do seguro de vida para condomínio. Entretanto, é possível encontrar seguros voltados exclusivamente para o público de terceira idade – com aceitação de cobertura para pessoas de até 80 anos. É importante salientar que, em função de o risco ser maior, o valor desse serviço costuma ser expressivamente mais alto.

Cheque se o seguro oferece assistência funeral

Há opções de seguros que contemplam também a assistência funeral, em caso de morte natural ou acidental. Normalmente, é oferecido a funcionários com até 65 anos de idade.

Você tem alguma dúvida sobre o seguro de vida no condomínio? Deixe sua mensagem nos comentários.

No Comments

Postar Comentário

× Atendimento (Whats)